O Inicio...

- Bem Vindos a uma parte da minha vida...
- A minha vida militar que decorreu entre o ano 1995 e 1997 ao serviço do Exercito Português na Recém Criada, a data, Brigada Aerotransportada Independente, Unidade Militar criada a 1 de Janeiro de 1994 no seio do Exercito Português, que foi constituída na sua essência a partir das infra-estruturas, meios e militares do Corpo de Tropas Pára-quedistas até então pertencentes a Força Aérea e ainda algum pessoal e meios do Regimento de Comandos
-A minha vida militar teve então inicio a 18 Fevereiro de 1995 na famosa Escola de Tropas Aerotransportadas, integrado na turma B da Companhia de Formação de Graduados para realização do CFS na qualidade de Soldado instruendo...

segunda-feira, 9 de Fevereiro de 2009

Historia das Tropas Paraquedistas Portuguesas







ANTECEDENTES

1930 - (Outubro, 14) – Na Base Aérea de Tancos é efectuado o primeiro salto em paraquedas numa sessão de experimentação de paraquedas para pilotos.


1942- Em Richemond (Austrália) são formados 12 paraquedistas que viriam a ser lançados na retaguarda das tropas japonesas que ocupavam a ilha de Timor.


1951- Dois oficiais frequentam em Pau (França) o curso de Paraquedismo.


1953- Alguns oficiais e sargentos frequentam em Alcantarilla (Espanha) o curso de Paraquedismo.




CRIAÇÃO E EXPANÇÃO DAS TROPAS PARAQUEDISTAS

1955- (Abril) – 232 militares (voluntários), oficiais, sargentos e praças frequentam em Alcantarilla (Espanha) o curso de Paraquedismo, dos quais 188 terminam com aproveitamento o curso.

1955 - (Maio, 27) – 188 Paraquedistas efectuam o seu primeiro salto em paraquedas. Este núcleo inicial regressa e fica aquartelado, até ao fim do anom nas instalações do campo de tiro da serra da cargueira.

1955- (Agosto, 14) – É entregue o guião à primeira Unidade de Paraquedistas.

1956- (Janeiro, 1) – É criado o Batalhão de Caçadores Paraquedistas (BCP) com sede em Tancos. Na quinta dos álamos (Golegã) é organizada o primeiro lançamento de paraquedistas em Portugal. Um a um cerca de 50 homens, saem das portas dos velhos JU 52 de origem germânica. O primeiro a saltar é o próprio comandante de Batalhão, Capitão Videira.


1956- (Maio, 23) – É oficialmente inaugurado o Batalhão de Caçadores Paraquedistas, tendo presidido à cerimonio o então subsecretario de Estado da Aeronáutica, Coronel Kaúlza de Arriaga, que entregou, em Tancos, as chaves dos portões ao seu comandante, Capitão Videira.


1959- (Abril) – Antecedendo a instalação no Ultramar e para divulgação da Força Aérea e das suas possibilidades, assim como para divulgação do Paraquedismo e da importante versatilidade das tropas paraquedistas, realiza-se o exercício “HIMBA” no qual toma parte o BCO com Lançamento de demonstração em Luanda, Sá da Bandeira e Nova Lisboa.
Entretanto, a experiência adquirida pelas tropas paraquedistas, aconselhou o reajustamento de algumas disposições vigentes, pelo que o governo faz publicar em 30 de Dezembro os decretos 42073 e 42075.


1959- (Julho, 17) – O Presidente da Republica Almirante Américo Tomás, visita o então BCP.

1960- (Novembro) – Embarcam os primeiros paraquedistas para o ultramar (Angola).


1961- (Dezembro) – Criação do Regimento de Caçadores Paraquedistas (RCP) com sede no BCP em Tancos que é então extinto.
Formação do Batalhão de Caçadores Paraquedistas nº21 (BCP21) em Angola.
Formação do Batalhão de Caçadores Paraquedistas nº31 (BCP31) em Lourenço Marques, no mesmo ano transferido para a Beira (Moçambique).


1966- Formação dos Batalhões de Caçadores Paraquedistas nºs 12 e 32 (BCP12 e BCP32), respectivamente em Bissau (Guiné) e Nacala (Moçambique).



1968- (Abril, 04) – O BCP12 é condecorado com a medalha de Cruz de guerra de primeira classe.


1973- (Fevereiro, 12) – O BCP21 é condecorado com medalha de valor militar (Ouro).

REORGANIZAÇÃO

1974- (Outubro, 15) – É extinto o BCP12.

1974- (Novembro) – É desactivado o BCP32.

1975- (Junho, 25) – É extinto o BCP31.

1975- (Julho, 05) – É criada a Base Escola de Tropas Paraquedistas (BETP) com sede no RCP em Tancos que é extinto.
Um destacamento da BETP é enviado para Timor.

1975- (Novembro, 11) – Com a independência de Angola é desactivado o BCP21.

1976- Criação do Corpo de Tropas Paraquedistas (CTP) e das Bases Operacionais de Tropas Paraquedistas nºs 1 e 2 (BOTP1 e BOTP2), sediadas respectivamente em Lisboa e em Aveiro. A BOTP2 é activada somente em 1978.

1985- (Janeiro, 03) – O CTP recebe a título de membro honorário da Ordem Militar da Torre e Espada, de Valor Lealdade e Mérito.

1987- (Dezembro, 07) – A BETP é condecorada com a Medalha de Ouro de Serviços Distintos.

1991- A BOTP1 (Monsanto) é desactivada, e todos os seus meios materiais e humanos são transferidos para a BOTP2 (S. Jacinto) e BETP (Tancos).

1992- Em Santarém, o Estandarte Nacional do CTP é agraciado com a medalha de Agradecimento da Cruz Vermelha Portuguesa.

1993- (Setembro) – Prevendo a criação da nova unidade a activar no Exercito Português, o CTP ministra, pela primeira vez um curso de Paraquedismo Militar (o175º Curso) a oficiais e sargentos do quadro permanente oriundos das diversas armas e serviços do Exercito Português.

1993- (Dezembro, 30) – O Presidente da Republica Dr. Mário Soares, condecora o Estandarte Nacional do CTP com a ordem Militar de Avis.

1993- (Dezembro, 31) – É extinto na Força Aérea Portuguesa, o CTP.


NASCIMENTO DA BAI – passado recente

1994- (Janeiro, 01) – São activados no Exercito Português o Comando De Tropas Aerotransportadas (CTAT) e a Brigada Aerotransportada Independente (BAI). O CTAT/BAI é depositário das tradições e património histórico dos extintos Corpo de Tropas Paraquedistas e Regimento de Comandos. A Escola de Tropas Aerotransportadas (ETAT) herda as tradições e património histórico da BETP.

1994- A BAI é atribuída ao Allied Rapid Reaction Corp (ARRC) da NATO, sob o controlo de uma Framework Division Italiana.

1996- (Janeiro) – O 2º BIAT (2º Batalhão de Infantaria Aerotransportada) da BAI e um Destacamento de Apoio e Serviços (DAS) integram a Brigada Multinacional Sarajevo Norte (BMNSN) de comando Italiano, no sector da Divisão Multinacional Sudoeste (DMNSE) de comando Francês na IFOR, na Bósnia Herzegovina.

1996- (Agosto, 9) – O 3º BIAT da BAI, sob o comando do Tenente -Coronel Paraquedista Fernando Saraiva, Substitui o 2º BIAT na Bósnia, regressa em Fevereiro de 1997.

1997- (Fevereiro, 14) – O Presidente da Republica, Dr Jorge Sampaio, condecora o Estandarte Nacional da BAI com a medalha de Ouro e Serviços Distintos.

1998- (Janeiro) – O 1º BIAT da BAI, segue para a Bósnia para substituir o Batalhão da Brigada Mecanizada ao abrigo da missão SFOR, regressa em Julho.

1998- (Junho, 20) – Uma Secção de Abastecimento Aéreo da BAI (1 Oficial, 2 Sargentos e 9 Praças) vai para Cabo-Verde no âmbito da missão de ajuda humanitária à população da Guiné-Bissau.

1999- (Fevereiro) – Um Pelotão, com 20 Pára-quedistas do 1ºBIAT, participa numa operação de ajuda humanitária à Guiné-Bissau, partindo num avião C-130 da FAP que aterrou em Bissablanca.

1999- (Julho) – O 2º BIAT comandado pelo TCoronel Paraquedista Cameira Martins, parte para uma segunda comissão na Bósnia, no âmbito da SFOR, regressando em Janeiro de 2000.

1999- (Agosto) – O Agrupamento BRAVO/BAI-KFOR parte para o Kosovo para tomar parte na operação da NATO integrado na Brigada Multinacional Oeste, sob comando Italiano, regressa em Fevereiro de 2000.

1999- (Agosto, 20) – Um Despacho do General Chefe de Estado-maior do Exercito, General Martins Barreto, altera a designação da Especialidade Aerotransportada para Para-quedista (Para) e altera igualmente a designação de Batalhão de Infantaria Aerotransportada (BIAT) para Batalhão de Infantaria Para-quedista (BIPara).

2000 (Janeiro/Fevereiro) – O 1ºBIPara, comandado pelo Tcor Paraquedista Cordeiro Simões, e reforçado com uma Companhia de Fuzileiros, integra o contigente Nacional para Timor (CNT), no âmbito da United Transitional Administration in East Timor- Peacekeeping Force (UNTAET/PKF), regressando em Agosto. Para além deste Batalhão e um destacamento de Helicopeteros, é também atribuído a Portugal o comando do Sector Central da UNTAET, sendo comandante o Coronel Paraquedista Lima Pinto.

2000 (Agosto) – O 2ºBIPara, sob o comando do TCor Paraquedista Marquilhas, substitui em Timor o 1ºBIPara, regressando em Fevereiro de 2001.

2001 (Julho) – O 1º BIPara, sob o comando do TCor Paraquedista Gomes Martins parte novamente para a Bósnia, como Reserva Operacional do Comando SFOR.


2001- (Dezembro, 19) – È Reactivado o 3ºBIPara em Beja, desactivado em 1998. É também reactivado o Regimento de Comandos na Serra da Carregueira.


De Momento não tenho mais dados actualizados, uma vez que passei a Disponiblidade em 1997



Sem comentários:

Enviar um comentário